sexta-feira, janeiro 15, 2016

Nem crise afasta pretendentes às prefeituras da Paraíba.

“Choro” dos atuais prefeitos não comove a eles mesmos, nem aos adversários... A falta de dinheiro e as reclamações dos atuais prefeitos na hora de pagar as contas parecem não intimidar os pré-candiadatos nos principais municípios paraibanos. Com pré-candidaturas cada vez mais definidas, a disputa pelo comando dos executivos municipais está a todo vapor no Estado. Ainda faltam nove meses para o primeiro turno das eleições, mas a briga nos municípios tem sido acirrada. Com os nomes apresentados, os pretensos candidatos correm agora para formar alianças que possam garantir mais força para seus nomes e maiores chances de uma campanha vitoriosa. Na capital, além do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), pelo menos outros cinco nomes se apresentam como pré-candidatos à prefeitura. Na briga por aliados políticos, o PSDB é um dos par- tidos mais cobiçados na capital. Apesar da executiva nacional do partido ter recomendado o lançamento de candidaturas próprias, principalmente nas capitais, ainda não há uma decisão relativa a João Pessoa. A legenda é alvo da cobiça do atual prefeito e do deputado federal Manoel Júnior, pré-candidato pelo PMDB. Em Campina Grande, estão confirmadas por enquanto apenas as pré-candidaturas de Romero Rodrigues (PSDB), que vai tentar a reeleição, e do deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), que tenta retornar ao comando da Rainha da Borborema. No entanto, outros três nomes estão cotados para disputar a prefeitura nas eleições de outubro: Adriano Galdino (PSB), Daniella Ribeiro (PP) e Napoleão Maracajá (PC do B). 

Em outros municípios do interior a disputa é ainda mais intensa. Em Cajazeiras, por exemplo, a atual prefeitura, Denise Oliveira (PSB), deve enfrentar nas urnas nomes como o deputado José Aldemir (Sem partido) e o ex-deputado Vituriano Abreu (PMDB). O PSOL aposta na força da pré-candidatura de Antônio Gobira, que obteve mais de 19 mil votos, somente em Cajazeiras, nas eleições de 2014, mas não con- seguiu uma vaga na Câmara dos Deputados. Enquanto José Aldemir ainda não definiu por qual partido sairá candidato em outubro, apesar de ter recebido convites de algumas legendas, inclusive do PP. A disputa pela Prefeitura de Cabedelo promete ser uma das acirradas do Estado. O deputado estadual Ricardo Barbosa (PSB) se apresenta como opção para enfrentar o atual prefeito, Leto Viana (PRP), nas urnas, mas ainda aguarda o aval do seu partido. Quem também pretende lançar candidato nestas eleições e retornar ao cenário político é o ex-prefeito José Régis, que já anunciou o nome da sua esposa, Neide Régis (PDT), como pré-candidata. Na lista de pretensos candidatos ainda consta o vereador Fernando Sobrinho (DEM) que, de olho na prefeitura, deixou o Pros e se filiou ao DEM no mês de agosto. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nas eleições deste ano, os políticos poderão se apresentar como pré-candidatos sem que isso configure propaganda eleitoral antecipada, mas desde que não haja pedido explícito de voto. A nova regra está prevista na Reforma Eleitoral 2015, que também permite que os pré-candidatos divulguem posições pessoais sobre questões políticas e possam ter suas qualidades exaltadas, inclusive em redes sociais ou em eventos com cobertura da imprensa. Quem quiser disputar as eleições em 2016 precisa filiar-se a um partido político até o dia 2 de abril. JP